SAIBA MAIS
  Opinião - Economia

Harri Gervásio: Garimpando

Por farrapo.rs
18/12/2017 09:15
 
 

Harri Gervásio Economista

O Caçapavano, Harri Goulart Gervásio é um profissional liberal, formado em Economia pela Universidade Federal de Santa Maria, Pós-Graduado em Administração de Empresas pela UFRGS e Pós-Graduado em Gestão Empresarial pela URCAMP. Técnico em Transações Imobiliárias pelo Senac.

harriconfia@farrapo.com.br vendeseconfianca.com.br 55 3281 1691

Conviver no mundo da informação faz com que o dia a dia somente fique completo quando a viagem inicia. É um alimento indispensável para quem esta no meio e grande vontade de transmitir aquilo que é encontrado. São jornais, analistas, sites, e a mídia que produzem e repercutem informações que modelam o caminhar de todos. Hoje é impossível conviver sem atualização permanente, pois isto é ficar fora do mundo. Nesta coluna, além de produzir conteúdos à preocupação é reproduzir informações que trazem o aumento do conhecimento ou satisfaçam curiosidades. Nesta peregrinação o encontro com artigos do Professor Mauri Calil, fundador da Academia do dinheiro, em “www.academiadodinheiro.com.br” onde vale a pena dar uma olhada. Destaque para o escrito “5 características do ciclo da pobreza”, interessante e que traz uma reflexão sobre o assunto. Ele diz que esta produção é fruto de mais dois mil clientes, preocupados com dificuldades financeiras. É um assunto bem do momento. Olhe um resumo!

A primeira característica da pobreza é a preguiça. Aqueles que têm pouco dinheiro estão sempre culpando os governos o patrão, o país, etc. A culpa sempre é de alguém, mas nunca deles que falam muito e pouco fazem. 

A segunda característica é o consumismo. Compram tudo que enxergam, andam e se esforçam por parecerem ricos. Isto além de impedi-los de sair da pobreza, as vezes transforma os ricos em pobres.

A terceira característica da pobreza é ter apenas o patrimônio passivo, ou seja, mais despesas, trocando investimento por consumo, até quando tem uma receita extra. 

A quarta característica é a falta de controle financeiro. Nunca sabe o quanto gastou, sem preocupação com aquilo que ganha, perde prazos de pagamento e esta sempre correndo atrás do prejuízo. Imagine um motorista dirigindo bêbado, com sono e falando ao celular. Cedo ou tarde... 

A última característica da pobreza é a ausência total de um plano. É um barco a deriva, que vai para o lado que o vento toca sem saber onde vai chegar. Sem rumo, com pouco esforço, orçamento apertado e endividado sem entender o que esta acontecendo sempre culpando tudo e os outros, desanima e se entrega a preguiça. Eu sou pobre mesmo e de nada vale lutar, voltando ao inicio do ciclo.

Sem duvida é uma abordagem simples que vai ajudar a entender a situação, indicando maneiras de quebrar este ciclo. 

Lei do finado Getúlio...
Segundo o IBGE o Brasil teve realmente uma super safra de cereais em 2017 com um crescimento de mais de 30% em relação a 2016. A consequência imediata foi a queda de preço devido o aumento na oferta. Para 2018 a expectativa é de uma redução de produtos colhidos em cerca de 10%. Reduzindo a oferta é os preços serão mais elevados. É a velha lei da oferta e procura. Contam uma estória que um grupo de vereadores de uma determinada localidade estava visitando uma ponte em construção, na fase do erguimento dos pilares. Falando em custos elevados, um deles sugeriu que, para baratear a obra, um dos pilares fosse eliminado. Aí veio a explicação que devido à lei da gravidade isto era impossível. Um mais astuto disse que poderiam fazer uma lei eliminando esta tal lei da gravidade. Logo outro interveio e disse: Olha isto é lei do finado Getúlio e melhor deixar assim. Sempre após uma grande safra acontece uma redução de preço e quando a quebra é importante o preço sobe. As commodities mundiais vivem de projeções que antecipam o comportamento futuro do valor de mercado dos produtos sendo indicativo  para plantar mais ou menos e até substituir culturas. Preço bom para o produtor é aumento para o consumidor. Alguns já apostam no crescimento da inflação devido o aumento no preço dos alimentos. Hoje existe uma base de informações que permite antever o que vai acontecer na safra futura, mas mesmo assim alguns insistem em desconhecer estas verdades. Quem esta plantando hoje deve saber que os preços dos produtos colhidos serão maiores na comercialização. Depois querem mudar a lei da oferta e da procura. É bom deixar assim, pois isto é lei do finado ... Mas bah!

Confirmando a recuperação
Em todo processo de recuperação econômica o inicio sempre é o bom desempenho da indústria e o ultimo setor a se movimentar positivamente é o setor terciário. As vendas do varejo brasileiro vinham amargando 37 meses de quedas anuais, mas agora, no período encerrado em outubro, o crescimento foi de 0,3%. É pouco, mas interrompeu a tendência de negativa. Mesmo assim estão ainda 10% menores do que no período de 2014. Era o que faltava para deixa muito claro que a recuperação econômica está acontecendo.

Pense
Prefira as pessoas que alimentam você positivamente.

Dados de 16/12/2017

Salário Mínimo
Salário Mínimo Nacional = R$ 937,00 -  R$ 31,23 p/ dia e R$ 4,25 p/ hora.
Salario Mínimo Regional = R$ 1.175,15/ 1.202,20/1.249,47/1.278,03/1.489,24

Construção Civil – novembro de 2017. 
CUB/RS – Sinduscon/RS 
      Residência Unifamiliar (normal) – R$ 1.748,88 m2. / variação 12 meses =  4,57%
      Residência Multifamiliar (normal) – R$ 1.440,62 m2. / variação 12 meses = 4,95%
Custo Nacional da Construção Civil –  Sinapi – IBGE
      Brasil =   R$  1.144,79 m2  /  variação  12 meses =  4,26%%
      Rio Grande do Sul = R$  1.131,10 m2  /  variação 12 meses =  3.44 %
Mão de obra – Valores pagos  - Sinduscon
      Pedreiro = R$/h 6,93
      Servente = R$/h 5,58

Taxas de Inflação – Índices de Preços  - novembro de 2017
IGP–M (FGV) =  0,52%  / acumulado 12 meses   -0,86%
INCC-M ( FGV)  =  0,28% / acumulado 12 meses = 4,26 %
IPCA IBGE)  =  0,28%  /  acumulado 12 meses  = 2,80%
INPC (IBGE)  =  0,18%  /  acumulado 12 meses  =  1,95%
IPC (FIPE)  =  0,28%  / acumulado 12 meses  =  2,44%

Reajuste de aluguéis (exemplo) – Anual,  corrigido por um índice de inflação escolhido pelas partes, acumulado dos últimos 12 meses. 
Ex: Aluguel R$ 200,00(12º. mês nov.) + 4,26% (INCC-M) = Novo valor (dez) = R$ 208,52

 

Rendimentos da Caderneta de Poupança – novembro.

15, 16, 17 e 18  = 0,427%

         
Taxa Selic = 7,0 % a.a.      Taxa de Juro de Longo Prazo (TJLP) = 7,0% a.a.


Salvo erros de grafia.

Por farrapo.rs

Farrapo