CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS
  Polícia

Envolvidos no assassinato do tradicionalista Gilberto Bittencourt foram identificados

15/02/2018 09:30
 

Ilustração: Polícia Civil

A Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec) de Bagé deflagrou, na manhã de ontem, a operação Sentinela, para prender os seis indivíduos responsáveis pelo latrocínio do contabilista e tradicionalista Gilberto Bittencourt Silveira, 47 anos.
O crime ocorreu no dia 31 de janeiro, nas proximidades do kartódromo de Bagé. Conforme as informações preliminares, no dia do crime, a Brigada Militar foi chamada para atender uma ocorrência de que havia um homem baleado dentro de um veículo. No local, os policiais militares encontraram o carro aberto e a vítima caída no banco traseiro, com as mãos amarradas para trás, com lacre, e já sem vida, atingida por um disparo de arma de fogo na cabeça. Próximo ao local foi encontrado um veículo KA, abandonado no meio do mato. “Os criminosos haviam fugido nesse automóvel. O carro era roubado, da cidade de Porto Alegre, com placas clonadas. Ainda próximo, os policiais prenderam, em flagrante, Rafael da Costa Pinheiro, 20 anos, que confessou o crime”, disse o delegado Cristiano Ritta.
Ritta destacou que, a partir das investigações, foi identificada Júlia Dília Costa Veleda, que também teve participação. “A partir dela, os criminosos desenrolaram um engenhoso plano para assaltar a vítima. O crime foi ordenado pelo preso Tiago Rafael Leges Ferreira, conhecido como "Mochilão", que está recolhido no Presídio Regional de Pelotas. Ele encomendou o assalto à Júlia, que deveria marcar um programa com Gilberto - para que ele fosse assaltado. Esse assalto levantaria dinheiro e quitaria uma dívida - decorrente da venda de droga -, que a garota de programa tinha com 'Mochilão'”, salienta.
No dia 31, Júlia consegue marcar o programa e indica o local onde seria o encontro - na praça do Colégio Bradesco. “Ela diz que iria levar uma amiga, cujo nome seria Gabrielle. Porém, durante a tarde, Júlia informa a Gilberto que não poderia ir porque não teve com quem deixar seu filho, e diz que a ‘amiga’ iria sozinha. Assim, ela passa o contato de telefone para que Gilberto converse diretamente com sua amiga. Ocorre que o número de telefone que ela manda é do próprio 'Mochilão'. Eles, então, acertam que o encontro seria às 21h, na praça do Colégio Bradesco”, explica.

No fim da conversa, Júlia pede para que a vítima confirme o carro em que estaria – um Crossfox bege. “A partir daí, entram em cena Rafael da Costa Pinheiro e os outros dois suspeitos. Eles chegam ao local e encontram a vítima dentro do carro. Anunciam o assalto, amarram os pulsos de Gilberto e o colocam no banco traseiro do carro, deslocando-se até o kartódromo. Lá, pressionam a vítima para que entregue dinheiro. Dentro do veículo, Rafael efetua um disparo que atinge o rosto de Silveira. Com o tiro, os três criminosos empreendem fuga no outro carro - o KA”, ressalta.
Por meio das investigações, a Polícia Civil conseguiu identificar todos os envolvidos no crime: Tiago Rafael Leges Ferreira, conhecido como "Mochilão", e fundador da facção chamada de 'Zona Leste'; sua namorada, Franciele Vaz Castro, que, assim como Júlia Dília Costa Veleda, já conhecia a vítima. Rafael da Costa Pinheiro, que foi preso em flagrante, e os outros dois suspeitos que aparecem nas filmagens no momento da fuga. “A identificação desses suspeitos está sendo mantida em sigilo porque eles ainda permanecem foragidos. O poder Judiciário decretou a prisão de todos os envolvidos e a busca e apreensão nas suas residências. O inquérito policial, agora, segue para o Judiciário e o Ministério Público”, encerra o delegado.

Fonte: Jornal Folha do Sul


Ilustração: Polícia Civil